Imagem de Jesus saindo raios vermelhos e brancos de seu coração. Imagem revelada por Santa Faustina sonre a Divina Misericórdia

Domingo da Misericórdia

Celebra-se o Domingo da Misericórdia todo Segundo Domingo do Tempo Pascal desde o ano 2000. Pois, neste ano, o Santo Padre Papa João Paulo II, que era um fervoroso devoto da Divina Misericórdia, canonizou Santa Faustina Kowalska, a santa que recebeu do próprio Cristo o Terço da Divina Misericórdia.

Santa Faustina e a Divina Misericórdia

Em 1967 o ainda Cardeal Cardeal Karol Wojtyla(Papa João Paulo II) pôs fim a uma discussão sobre os escritos de Irmã Faustina. Por ser uma revelação privada uma parte da Igreja não aceitava o que ela havia presenciado e escrito. Com isso, em a Irmã foi beatificada em 1993 e canonizada no Segundo Domingo da Páscoa do ano 2000.

São João Paulo II disse em sua canonização:

“E tu, Faustina, dom de Deus ao nosso tempo, dádiva da terra da Polônia à Igreja inteira, obtém-nos a graça de perceber a profundidade da misericórdia divina, ajuda-nos a torná-la experiência viva e a testemunhá-la aos irmãos”.

Portanto coube a Irmã Faustina, depois de passar para a Glória do Pai e a São João Paulo II propagarem a devoção a Divina Misericórdia. Assim, através dela, obtemos a o verdadeiro perdão de nossos pecados.

A imagem da Divina Misericórdia

Imagem de Jesus saindo raios vermelhos e brancos de seu coração. Imagem revelada por Santa Faustina sonre a Divina Misericórdia

Esta imagem foi revelada a Irmã Faustina em 1931 pelo próprio Jesus, que pediu também para pintá-la.

Jesus explicou-lhe a imagem: “O raio pálido significa a Água que justifica as almas; o raio vermelho significa o Sangue que é a vida das almas (…) Feliz aquele que viver à sua sombra, porque não será atingido pelo braço da justiça de Deus” (Diário, 299).

A Divina Misericórdia está vinculada ao Evangelho do segundo Domingo da Páscoa

No Evangelho do Segundo Domingo da Páscoa vemos Jesus ressuscitado entrando no Cenáculo onde estavam os discípulos e lhes dá o poder de perdoar ou reter os pecados. Portanto, este poder é dado a Igreja de Cristo através dos apósotolos (Bispos). Sendo assim, a Divina Misericórdia de Cristo se dá através da Igreja, no perdão dos pecados.

Portanto, não fique distante do sacramento da reconciliação. Nele a misericórdia do Pai derrama-se sobre nós, retornando-nos aos seus braços.

A segunda vinda de Cristo

“Fala ao mundo da Minha misericórdia, que toda a humanidade conheça a Minha insondável misericórdia. Este é o sinal para os últimos tempos; depois dele virá o dia da justiça. Enquanto é tempo, recorram à fonte da Minha misericórdia” (Diário, 848).

“Fala às almas desta Minha grade misericórdia, porque está perto o dia terrível, o dia da Minha justiça” (Diário, 965).
“Prolongo-lhes o tempo da Misericórdia, mas ai deles, se não reconhecerem o tempo da Minha visita” (Diário, 1160).
“Antes do Dia da justiça envio o dia da misericórdia” (Diário, 1588).
“Quem não queira passar pela porta de Minha misericórdia, tem que passar pela porta de Minha justiça” (Diário, 1146).

Preparemo-nos para a segunda vinda triunfal de Cristo através da devoção a sua Divina Misericórdia. Reze o Santo Terço da Divina Misericórdia ao menos uma vez na semana. Ele desperta a alma para um amor a misericórdia através da contemplação dos sofrimentos de Cristo na Cruz. Então, unimo-nos a Ele no sofrimento e na esperança da vida eterna.

Fonte: cleofas.com.br

Deixe uma resposta

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: