fruto-da-paciência

Fruto da Paciência – Como conseguí-lo?

Tão raro nos dias de hoje, o fruto da paciência nos torna inalteráveis perante os males iminentes. É um fruto do Espírito Santo. Mas, o que está acontecendo? Por que as pessoas procuram tanto ter paciência e não conseguem?

Nem tudo podemos controlar

O pecado original dá-nos a tentação de sermos os nossos próprios deuses. Com isso achamos que podemos controlar tudo, até mesmo os fenômenos naturais, os negócios (que passam por crises financeiras, pandemias, etc…) ou controlar as atitudes das pessoas. No entanto, a verdade nos diz que é totalmente o contrário, ou seja, pouco podemos controlar. Além disso queremos tudo para “ontem”. O imediatismo está presente num mundo altamente tecnológico.

É exatamente o imediatismo e a falta de controle das situações que chamamos de falta de paciência. Isso acaba afetando muito nossas vidas, de uma forma direta ou indireta.

O fruto da paciência está ligado ao tempo

Ao plantarmos um bambu japonês ele levará de 5 a 7 anos para germinar, pois precisa adquirir raízes fortes para se sustentar. Uma vinícola, após plantar suas primeiras videiras, levará, em média, 25 anos para vender seu primeiro bom vinho. Esses são só alguns pequenos exemplos de espera de tempo.

Quando não aceitamos ser agraciados (sim, é um presente!) com o fruto da paciência podemos sofrer várias consequências, tais como: comportamento explosivo, atritos com amigos e familiares ou até mesmo o silêncio, muito comum entre os casais.

A impaciência pode tomar conta de nossos relacionamentos, dos negócios, dos projetos de vida e nos levar ao desânimo ou tédio. Não faremos um curso de outro idioma porque demora muito, desistiremos de fisioterapia e aguentaremos uma possível dor porque as sessões são longas e a cura é a longo prazo, etc…

Portanto, ter paciência é fundamental para se viver bem consigo mesmo e com os outros.

Paciência é a arte de sofrer

A palavra paciência vem do latim “pater” que significa padecer (ou sofrer), porém no sentido digno da palavra. Então, paciência é a arte de “saber sofrer” perante as adversidades da vida.

Em Lucas 21,19 vemos: “através da vossa paciência possuirei as vossas almas”. Com o fruto da paciência controlamos melhor a ansiedade, mantemos a lucidez de raciocínio e, consequentemente, erramos menos.

Ter paciência é aprendizado. Todos os santos da Igreja tiveram que aprender. Como? Meditando e procurando imitar a vida e as palavras de Cristo.

Portanto, para ser salvo cada um deverá renunciar a si mesmo, tomar a sua cruz e seguir Jesus. Ou seja, para ser salvo devemos aprender a padecer abandonando-se em Deus.

As três virtudes teologias e o fruto da paciência

São três virtudes que regulam o nosso relacionamento com Deus. Elas são importantíssimas para se adquirir o fruto da paciência. Veremos cada uma delas a seguir.

A Fé

Não encontramos resposta para tudo em nossa vida, conforme vimos mais acima. Então, a fé nos fará adquirir a paciência necessária, pois tudo vem de Deus concorre para a nossa salvação. Isso é fé, ou seja, aceitar as doenças, desempregos, COVID, situações que nos tiram da nossa zona de conforto, entre outras.

Vemos na primeira carta de São Pedro que a falta de paciência é uma das tentações do encardido. Com isso, não deixemos nos enganar pelas adversidades que nos tiram o foco de Deus.

A fé nos faz ter paciência para saber que podemos não entender o que se passa agora, mas iremos entender mais tarde o porquê de uma determinada situação.

A Esperança

Veja este trecho da carta de São Paulo aos romanos, capítulo 5, versículos de 1 a 5:

1 Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo;

2 Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus.

3 E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações; sabendo que a tribulação produz a paciência,

4 E a paciência a experiência, e a experiência a esperança.

5 E a esperança não traz confusão, porquanto o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado.

“Gloriemos nas tribulações”. Como conseguiremos isso senão pelo fruto da paciência? Ter paciência é ter esperança que tudo vai passar. E isso nos impede sermos vítimas das circunstâncias, sendo assim não desanimamos em busca das soluções dos problemas. E essa esperança só pode vir de Deus.

Crer é acreditar em algo presente. Agora, ter esperança é aprender a padecer o presente para ter algo no futuro, como exemplo podemos citar a vida eterna. Mas, esperar não significa ficar parado. Se Lázaro não tivesse dados aqueles passos para fora do túmulo o gesto de Jesus seria em vão.

A Caridade

Vemos em 1 Coríntios 13: “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine”. A caridade é paciente, pois é fruto do amor de Deus.

O contrário de caridade é egoísmo, ou seja, a impaciência gera o egoísmo que pode nos levar a inveja, um pecado capital.

Por amor a Deus nós temos que praticar a caridade e a paciência… não podemos explodir com as pessoas, não podemos nos queixar das situações e muito menos cobrar atitudes alheias. Tudo isso por amor a Deus, aos outros e por nós mesmos.

Oração e o fruto da paciência

Reze o Santo Terço, medite a palavra de Deus, procure se confessar para permanecer em estado de graça. Peça a Nossa Senhora que interceda junto a seu Filho para ser agraciado com esse fruto tão esquecido.

Não peça a Deus e simplesmente fique esperando que uma “varinha mágica” fará o trabalho. Faça sua parte e, com certeza, Deus Pai, que nunca desampara seus filhos, dará o fruto da paciência que o levará a ter uma vida mais calma e tranquila, deixando tudo nas mãos Dele.

Créditos da imagem: eismeaqui.com.br

Deixe uma resposta

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: