jejum-na-quaresma

Jejum na quaresma – Por que fazer?

Neste tempo de quaresma nos apoiamos no jejum, na oração e na caridade. Mas é muito comum sermos questionados qual o motivo deste jejum exatamente. Qual o propósito de abstermos de algo se Jesus já sofreu por todos nós na cruz?

Jejum na quaresma é esvaziar-se de si mesmo

Quando jejuamos devemos ter mente que a finalidade é deixar nossas vontades de lado e preenchê-las somente com as coisas de Deus. Como assim? Vamos para uma exemplo prático: jejum de chocolate (para quem gosta muito, é claro), fará a pessoa sentir a falta daquele alimento, até sofrer por falta dele, porém deve fazer força para colocar Deus em seu lugar… ao invés de comer uma barra de chocolate poderia rezar o Santo Terço. Aquele dinheiro que a pessoa economizou comprando chocolates deve ser doado aos pobres, sendo assim o fruto do jejum se transformará em ato de caridade.

As coisas do mundo ocupam o lugar que seria de Deus

Enquanto vamos dando valor para as coisas mundanas elas vão preenchendo nosso ser. Logo, não sobra lugar para Deus.

Pense bem, quanto tempo gastamos olhando as mensagem do celular, redes sociais, e-mails, futilidades, etc… em cada dia? O jejum pode ser feito de alimentos mas também de “coisas”, tal como a internet por exemplo.

Jejuar na quaresma de pecados

Outro ponto que muitas pessoas esquecem é o jejum de pecado. Por quê não fazer um jejum de fofoca nesta quaresma? Estaremos tirando um pecado de nossas vidas para preencher com coisas divinas.

O que Deus quer de nós no jejum não é o sacrifício em si, ou seja, sentir falta de algo, mas que o nosso espírito se eleve e descubra o quanto Ele nos faz falta. Esse é o ponto mais importante. De nada adiantará ficar quarenta dias sem tomar cerveja se depois você ficar bêbado o resto do ano.

Como já disse no começo: Jesus já sofreu por nós, então Ele quer a nossa conversão. E sem sacrifício (penitência) não há como chegarmos a conversão completa. Se analisarmos a história dos santos católicos veremos que nenhum deles atingiu a santidade sem abrir mão, muitas vezes, até de suas vidas.

Jejum e conversão

Portanto, pratiquemos o jejum de qualquer coisa nesta terra que nos faça chegar ao céu. Abster-se de algo pura e simplesmente por “modismo” ou pelo fato estarmos na quaresma não trará fruto nenhum. O verdadeiro jejum é aquele que nos faz enxergar que as coisas do mundo não são necessárias, mas somente as coisas do alto, aquelas que vem de Deus e nos preenchem por completo. Parafraseando Santa Tersa D’Ávila:“Quem a Deus tem, nada lhe falta: só Deus basta”!

Crédito da imagem: romapravocê.com

Deixe uma resposta

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: