santo-terco-da-divina-misericordia

Santo Terço da Divina Misericórdia

Santo Terço da Divina Misericórdia, uma revelação Divina

O Santo Terço da Divina Misericórdia foi recebido por Santa Faustina Kowalska por revelações próprias de Nosso Senhor Jesus Cristo, entre os dias 13 e 14 de setembro de 1935. Nestas revelações Jesus nos deu uma nova forma de piedade.

Por um lado, este terço tem como base a meditação dos mistérios sobre um olhar a misericórdia de Jesus, ou seja, acreditar que Jesus morreu na cruz por todos nós é acreditar que somente chegaremos ao céu graças a sua infinita misericórdia. Por outro lado é nos envolve no Amor infinito de Deus!

Pedir perdão pelos pecados através da misericórdia

Sendo assim, todo pecado é uma injúria a Deus, ao Espírito Santo e ao sacratíssimo coração de Jesus. Portanto, neste terço da misericórdia pedimos compaixão a Jesus pelos nossos pecados e do mundo inteiro, ou seja, até por aqueles que não rezam.

Pela sua dolorosa paixão, tende misericórdia de nós e do mundo inteiro“. Pedimos compaixão de Jesus pelo que ele sofreu por nós no patíbulo da cruz e, como somos filhos ingratos, não reconhecemos o sacrifício ou nos esquecemos facilmente guiados pelas coisas mundanas.

As promessas de Jesus a Santa Faustina

Através deste terço somos convidados a confiar no Pai. Jesus fez cinco promessas a Santa Faustina para quem rezar este terço. São elas:

1. Jesus promete Sua benevolência

“As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia, durante a sua vida” (D. 754); “Oh! Que grandes graças concederei às almas que recitarem este Terço. As entranhas da Minha misericórdia comovem-se por aqueles que recitam este Terço” (D. 848); “Pela recitação deste Terço agrada-Me dar tudo o que Me peçam” (D. 1541, cf. 1731).

2. Assistência na hora da morte

“As almas que rezarem este Terço serão envolvidas pela Minha misericórdia durante a sua vida e, de modo particular, na hora da morte” (D. 754; cf. 687); “Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas, e a hora da morte deles será feliz” (D. 1541).

E as promessas não pararam por aqui…

3. Compaixão

“Minha filha, agrada-Me a linguagem do teu coração; pela recitação desse Terço aproximas a humanidade de Mim” (D. 929).

4. A graça da paz e da conversão

“Os sacerdotes o recomendarão aos pecadores como a última tábua de salvação. Ainda que o pecador seja o mais endurecido, se recitar este Terço uma só vez, alcançará a graça da Minha infinita misericórdia” (D. 687); “Quando os pecadores empedernidos o recitarem, encherei de paz as suas almas” (D. 1541)

5. Socorro ao agonizante

“Defendo toda alma que recitar esse Terço na hora da morte como se fosse a Minha própria glória, ou, quando outros o recitarem junto a um agonizante, eles conseguirão a mesma indulgência. Quando recitam esse terço junto a um agonizante, aplaca-se a ira de Deus, a misericórdia insondável envolve a alma e abrem-se as entranhas da Minha misericórdia, movidas pela dolorosa Paixão do Meu Filho” (D. 811; cf. 810; 834; 1035; 1036; 1565; 1797).

“Protegerei a alma que difundir o culto à Minha Misericórdia, por toda sua vida; e na hora da sua morte não serei para ela um Juiz, mas Salvador. Os raios do meu Coração significam Sangue e Água, e amparam as almas. Bem-aventurado quem vive à sombra deles, pois que não o atingirá a Mão da Justiça Divina”.

Reze conosco o Santo Terço da Divina Misericórdia, direto do nosso canal do YouTube,   contemplando os mistérios dolorosos da sexta-feira:

Deixe uma resposta

Rolar para cima
%d blogueiros gostam disto: